Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Nitricionista

14
Jan14

Seitan: proteína alternativa

Ana Ni Ribeiro

O seitan é um dos principais substitutos da carne. Faz parte da alimentação de quem segue regimes vegetarianos há décadas mas ainda é desconhecido de grande parte da população. O seitan é um alimento proteico derivado do glúten, tem cor castanha e a sua textura é esponjosa e gelatinosa. É um alimento isento de gordura e com baixo teor de hidratos de carbono, tem uma textura semelhante à da carne e cozinha-se exactamente da mesma forma. Pode ser cozido, grelhado em fatias ou espetadas, estufado ou assado no forno.

Uma das diferenças em relação à carne é que não contém vitaminas lipossolúveis nem ferro, pelo que deve ser encarado como uma fonte de proteína complementar, a juntar ao leque das proteínas de alto valor biológico tradicionais. Apesar de ser saudável, este alimento não deve ser ingerido por doentes celíacos.

27
Set13

A pirâmide vegetariana

Ana Ni Ribeiro

Apesar de a dieta vegetariana ser tipicamente definida pela exclusão de alimentos animais, uma dieta vegetariana saudável é a que dá ênfase à variedade e abundância de produtos vegetais. Alimentos vegetarianos incluem: cereais, legumes (incluindo soja e produtos derivados da soja), vegetais, fruta, nozes, sementes, óleos vegetais, adoçantes, ervas e especiarias. Os grupos de alimentos que surgem na pirâmide estão identificados e arranjados em secções com base na sua contribuição quantitativa para a dieta.

O maior grupo, cereais inteiros, legumes, vegetais, fruta, sementes e nozes, está no fundo da pirâmide, sendo os alimentos que devem ser consumidos em maiores quantidades. O grupo de alimentos opcionais (óleos vegetais, produtos lácteos, ovos e doces) forma a menor porção da pirâmide.

 

Programar refeições torna se mais fácil se se tomar como referência a pirâmide alimentar. Os alimentos do maior grupo, deveriam ser predominantes: fruta, cereais e tostas ao pequeno-almoço, pão, saladas ou legumes ao almoço, e ao jantar, o prato principal deve ser à base de massa ou arroz, e fruta de sobremesa.

Pode se incluir todos os dias pequenas quantidades de produtos lácteos do grupo “coma moderadamente” (caso não seja um vegetariano puro).

Um pouco de manteiga ou margarina na tosta do pequeno-almoço, um pouco de azeite virgem na salada ou para saltear, um copo de vinho de vez em quando. Ocasionalmente, um doce. O chá e o café devem-se consumir com moderação.

É possível equilibrar o conteúdo nutritivo das refeições de cada dia para que o conjunto final corresponda aos princípios da pirâmide.

Em princípio, o consumo diário de uma variedade de alimentos de todos os grupos em quantidades que forneçam a energia necessária pode fornecer todos os nutrientes necessários pelos humanos excepto vitamina B12 e, possivelmente, vitamina D. As dietas vegetarianas, no geral, são baixas em gordura total e saturada, e altas em fibra, folatos, nutrientes anti-oxidantes (vitamina C, Vitamina E e carotenóides) e vários fitoquímicos e compostos protectores.

Alimentos integrais e pouco refinados são enfatizados pois contêm mais vitaminas, minerais, fibras alimentares e componentes bioactivos do que os alimentos refinados e processados.

 

10
Abr13

Vegetarianismo

Ana Ni Ribeiro

A palavra vegetariano vem do termo latim vegetus, que significa “inteiro, sadio, fresco ou vivaz” como em homo vegetus: indivíduo mental e fisicamente vigoroso. O significado original da palavra implica uma sensação filosófica e moral equilibrada de vida, muito mais do que uma dieta de legumes e frutas. Um indivíduo vegetariano é alguém que vive basicamente de produtos alimentares do mundo vegetal, com adição ou sem uso de ovos e leite e derivados. Existem inúmeros motivos que levam a começar uma dieta vegetariana, sejam eles de natureza ética, de saúde, de crença religiosa, económicos ou qualquer combinação destes.

A dieta vegetariana se for correctamente planeada promove crescimento e desenvolvimento normais e satisfaz as necessidades nutricionais de indivíduos saudáveis, sendo adequada a todas as etapas do ciclo de vida, inclusive durante a gravidez e lactação, de bebés, crianças e adolescentes. As dietas vegetarianas, se bem planeadas e estruturadas por um nutricionista, também atendem às necessidades de atletas.

Estudos epidemiológicos e de investigação experimental indicam relações positivas entre a dieta vegetariana planeada correctamente e a redução do risco e tratamento de várias doenças e situações degenerativas crónicas, como a obesidade, hipertensão, problemas cardíacos, diabetes e alguns tipos de cancro. O efeito protector dos alimentos vegetais é devido a vários compostos encontrados neles, sendo apenas alguns deles considerados nutrientes no sentido clássico.

Os padrões alimentares dos vegetarianos variam de modo considerável, pois pode haver variação na extensão em que se evitam os produtos animais. Os padrões mais comuns são: o padrão alimentar dos ovolactovegetarianos, incluindo lacticínios e ovos, e o dos vegetarianos puros, que exclui todos os produtos animais, como leite, queijo e ovos.

19
Mar13

Proteínas Vegetais

Ana Ni Ribeiro

Ervilhas, favas, feijão, lentilhas e grão são óptimas fontes de proteínas vegetais, pelo que a cozinha vegetariana utiliza muito estes alimentos. Estas leguminosas, além do teor proteico, também fornecem fibras, vitaminas do grupo B, ferro e magnésio.
A roda dos alimentos recomenda a ingestão de uma a duas porções (cerca de 80g de alimento cozinhado) diárias.
Pode consumi-las frescas, secas ou em conserva.
18
Jan11

Vegetais para todo o serviço.

Ana Ni Ribeiro
A dieta vegetariana se for correctamente planeada por um nutricionista promove crescimento e desenvolvimento normais e satisfaz as necessidades nutricionais de indivíduos saudáveis, sendo adequada a todas as etapas do ciclo de vida, inclusive durante a gravidez e lactação, de bebes, crianças e adolescentes.
Saiba mais lendo a crónica no Correio do Minho
04
Out09

Receita Vegetariana

Ana Ni Ribeiro

Uma receita simples e fácil de preparar para vegetarianos e não só.


Pastéis de Tofu

Tempo total de preparação: 25 minutos

Porções: 5


Alho

Cebola

Coentros

Molho de soja

500 g Tofu



  1. Esmigalhe o tofu com uma colher. Verta o molho de soja até ficar com uma tonalidade castanha.
  2. Junte os restantes ingredientes e misture.
  3. Unte um tabuleiro com farinha e azeite (pouco) e com duas colheres faça pastéis.
  4. Coloque os pastéis no tabuleiro e leve ao forno a 210ºC durante cerca de 10 ou 15 minutos.
  5. Acompanhar com uma salada.

Sobre mim


Sou a Ni, sou nutricionista e este é o meu blog. Aqui partilho a minha paixão pelo fabuloso mundo da nutrição. Dizem que este é o melhor blog sobre nutrição do mundo e arredores!

Ver perfil
Seguir perfil

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu livro

Links

Consultas online

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Parceiros