Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Nitricionista

09
Set16

Regresso às aulas II

Ana Ni Ribeiro

Como merenda da manhã, algo semelhante ou 20-30g de frutos secos (nozes, avelãs, amendoins, etc.), um iogurte ou um pacotinho de leite.
As refeições 'principais', almoço e jantar, deverão iniciar-se com um prato de sopa de legumes e incluir fruta. Quando a criança tem muito apetite ou não gosta de fruta, dê-lha a seguir à sopa, antes do prato principal ou como acompanhamento do mesmo. Deve dar-se preferência ao peixe em vez da carne e não nos podemos esquecer de incluir feijão, ervilhas, grão-de-bico e outras leguminosas na alimentação das crianças.
A merenda da tarde não pode falhar e idealmente será composta por pão e leite ou derivados.
Os pais são, por excelência, os modelos dos seus filhos! De nada adianta tentar ensinar as crianças a realizar uma alimentação saudável e a ter um dia alimentar saudável se não cumprirem as regras.
Boas escolhas alimentares e um bom regresso às aulas!

06
Set16

Regresso às aulas I

Ana Ni Ribeiro

featured_large.jpg

 

Acabaram-se as férias! Tempo de voltar às rotinas mas também tempo de mudanças.
A alimentação das crianças deve ser algo a ter muito em conta pois aquilo que comem hoje pode salvaguardar ou prejudicar a sua saúde e felicidade mais tarde, e são elas a próxima geração. O regresso às aulas é a altura que impõe uma mudança na alimentação praticada durante o Verão. O desenvolvimento físico e intelectual das crianças depende se têm ou não uma alimentação equilibrada, variada e completa. A dieta pode afectar o seu desempenho na escola, o seu comportamento e, claro, a sua saúde. Demasiadas crianças crescem ignorando ou desafiando uma boa alimentação.
E por onde começar este saudável regresso às aulas? Obviamente pelo início, pelo pequeno-almoço! Os atrasos, o sono, a má disposição são muitas vezes desculpas para se sair de casa sem tomar o pequeno-almoço. Ninguém morre à fome se saltar esta refeição, mas a atenção e as capacidades mentais ao longo do dia são ligeiramente afectadas. Fazer uma refeição regular é uma boa maneira de controlar os alimentos que ingere, seja adulto ou criança, diminuindo o risco de obesidade. Hipoglicemia, mal-estar e má disposição geral, cefaleias, impaciência e agressividade e a diminuição da capacidade de resposta e de reflexos poderão ser algumas consequências de não se tomar o pequeno-almoço. Assim deverá obrigatoriamente incluir: pão ou cereais integrais com pouco sal e açúcares (ler sempre os rótulos); um copo de leite ou produtos derivados e, idealmente, deve ainda incluir fruta. Se a  criança não tem fome logo ao acordar - muitas vezes é a pressão da saída e não falta de fome - obrigue-a a levar pão com queijo ou fiambre ou bolachas sem açúcar, um queijinho, um pacote de leite, ou um iogurte líquido ou um sumo de 100% fruta, para comer durante o trajeto para a escola.

17
Mar16

Crianças e o chocolate. Quanto podem comer?

Ana Ni Ribeiro

A Páscoa está a chegar e os seus filhos já lhe pediram um ovo de chocolate? E qual será a quantidade máxima de chocolate que pode ser consumida pelos miúdos? A partir de que idade os mais pequenos podem comer chocolate? São muitas as dúvidas sobre este assunto.

Para a maioria dos especialistas, comer 30 gramas num dia é aceitável, desde que a criança não esteja acima do peso nem tenha nenhum problema de saúde relacionado. Essa medida corresponde a uma barrinha de chocolate, o que soma cerca de 160 calorias. Porém, se é difícil domar o ponteiro da balança, consulte um nutricionista. Eles podem dizer como e quando incluir a guloseima no plano alimentar do seu filho.

Outra questão que muitos pais colocam: qual a melhor idade para iniciar o consumo?  A partir dos 2 anos seria o ideal, mas nunca antes do primeiro aniversário. O que pode causar problemas é o modo como o chocolate entra na dieta.

Ofereça o doce após o almoço, nunca de forma isolada a meio da tarde, por exemplo. Explico porquê: como contém açúcar refinado, de rápida absorção, ele faz subir rapidamente a quantidade de glicose no sangue. Para retirar o excesso de açúcar e transportá-lo para o interior das células, o pâncreas é obrigado a produzir altas doses de insulina. Tão rapidamente quanto subiu, porém, a taxa glicémica volta a cair. E há um ataque de fome, o que pode acabar por levar a um aumento na ingestão de calorias e, consequentemente, aos quilos a mais.

Outro erro comum é fazer do chocolate uma moeda de troca para a criança comer tudo o que está no prato. Transformar o doce em prémio é estimular maus hábitos alimentares. O ideal é que a criança aprenda desde cedo a comer de tudo um pouco, inclusive chocolate. Moderação é a palavra de ordem!

01
Jun15

Ideias divertidas para o dia mundial da Criança

Ana Ni Ribeiro

fotografia 2.JPG

 

fotografia 3.JPG

 

fotografia 4.JPG

 

Os seus filhos não gostam de fruta? É sempre um drama na hora da sobremesa ou do lanche? Este post é para si.
Decore o prato, brinque com os alimentos, com as cores... afinal, que criança (e que adulto?) resiste a um belo desenho ou a uma brincadeira? Experimente fazer pratos criativos, divertidos e coloridos com as frutas, como mostram as imagens. Ideias simples que dão óptimo resultado.

fotografia 1.JPG

 

24
Fev15

O tamanho das doses das crianças

Ana Ni Ribeiro

comer.jpg

 

Levámos as crianças a comer mais, servindo-lhes simplesmente doses maiores. À medida que o tamanho das doses aumenta, as crianças ficam condicionadas a consumir mais calorias do que necessitam. Acostumam-se a comer mais, sentindo a mesma saciedade.

Algumas sugestões úteis:

Diminua as doses, se o seu filho se queixar, diga-lhe que primeiro coma o que tem no prato e, se ainda sentir fome, poderá repetir. Faça um período de espera entre a primeira e a segunda dose e provavelmente ele terá menos tendência para repetir.

As crianças não são adultos! Na hora de servir as refeições lembre-se que a deles deverá ser mais pequena que a dose típica de um adulto.

Evite comprar alimentos nos tamanhos gigante, grande ou com "25% mais"; dê preferência aos alimentos de tamanho mais pequeno ou em miniatura.

15
Jan15

Era uma vez

Ana Ni Ribeiro

fotografia 1 (2).JPG

 

A apresentação dos alimentos faz toda a diferença no apetite e vontade de os experimentar tanto para as crianças quanto para os adultos, principalmente na hora de ingerir vegetais e alimentos "novos".
Conte histórias com os alimentos para estimular a criança a comê-los. Um arroz de brócolos e lulas pode ser transformado numa história no fundo do mar, ou uma simples salada com arroz e bifinho de peru num jardim onde vivem duendes. Coloque a sua imaginação a trabalhar!

Era uma vez um momento feliz à mesa!

fotografia 2 (3).JPG

 

09
Out14

Ideias divertidas para o seu filho comer fruta

Ana Ni Ribeiro

fotografia 1 (15).JPG

 

Todos sabemos que devemos incluir fruta na dieta diária das crianças mas nem sempre é fácil. Com um bocadinho de imaginação é fácil conseguir que os miúdos comam fruta.

Decore o prato, brinque com as cores, recrie animais e personagens... afinal, que criança resiste a um belo desenho ou a uma brincadeira?

Deixo-lhe duas ideias simples que dão óptimo resultado.

fotografia 2 (14).JPG

 

 

22
Jul14

Menu de Verão para crianças

Ana Ni Ribeiro

O Verão é a estação do ano preferida de quase todas as crianças. É sinónimo de férias, de dias ao ar livre, de praia e de mergulhos na piscina.
É importante que as crianças se alimentem bem enquanto se divertem.
Nestes dias de calor a palavra de ordem é hidratar. Depois de se assegurar as necessidades nutricionais básicas das crianças, o fundamental é a água. É necessário que as crianças estejam sempre a beber água, para repor a que perdem através da transpiração. Faça-as beber várias vezes ao dia, mesmo que digam que não têm sede. os sumos naturais são também uma opção, pois são também hidratantes e fornecem bastantes nutrientes. Deve evitar os refrigerantes e as bebidas açucaradas porque têm muito açúcar.
A alimentação, tal como durante o resto do ano, deve ser variada e equilibrada. Sopa de legumes, carne magra, peixe, fruta e lacticínios são elementos indispensáveis em qualquer menu infantil.
Se a criança não tiver excesso de peso, um gelado por dia é permitido desde que não seja substituto da fruta. Opte pelos mais naturais.

Sobre mim


Sou a Ni, sou nutricionista e este é o meu blog. Aqui partilho a minha paixão pelo fabuloso mundo da nutrição. Dizem que este é o melhor blog sobre nutrição do mundo e arredores!

Ver perfil
Seguir perfil

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu livro

Links

Consultas online

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Parceiros