Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Nitricionista

22
Nov16

O testemunho da não corredora que fez a maratona de NY com A Minha Dieta

Ana Ni Ribeiro

É com o peito a rebentar de orgulho que partilho o testemunho da Joana. É uma guerreira, uma vencedora! Vamos equipa, até à vitória final.

maratona.jpg

Maratona de NY 16

Aqui fica a história de uma não-corredora tornada em corredora que atravessou a meta da Maratona de Nova Iorque com a dieta da Ni (literalmente)!

 

Conheci a Ni, em Lisboa, num jantar de amigos, numa altura em que tinha acabado de ganhar a entrada para correr na maratona de Nova Iorque e estava a tentar corrigir os hábitos alimentares. A minha história não é mais uma história de uma perda drástica de peso. Não. A minha história fala acerca de algo mais importante: de uma mudança no estilo de vida aos 33 anos.

 

Nunca fui atleta. Fiz natação quando era adolescente e pouco mais nas aulas de educação física. A minha relação com o fitness começou numas aulas inofensivas de Bootcamp em 2014. Nessa altura, o meu treinador, Corey Belin, lança-me um desafio: e que tal começares a correr 15min por dia 6 dias por semana?

 

Why not? Num mês e meio fui de 15 min por dia a 5km por dia. E seis meses depois cortei a linha final da minha primeira meia maratona. A partir daí nunca mais parei de correr. Correr é como o sexo, 5km da muito trabalho mas 15km pode ser muito divertido. E eu, sem querer, tinha acabado de encontrar o meu novo hobby. Correr distâncias, claro.

 

Treinar para uma maratona é um projeto de vida. A equação do sucesso é simples: corrida qb, muito descanso, alongamentos de manhã e à noite e uma boa dieta. Foi aqui que a dieta da Ni entrou na minha cozinha e o livro dela ganhou um espaço especial numa das minhas prateleiras. Hoje, que sou uma maratonista, deixem-me dizer isto em voz alta: A DIETA É METADE DO TREINO!

 E, quando se fala em dietas, vamos lá ser sinceros: a palavra mais próxima de nutricionista é... 'fome'. Não haverá, afinal, muitas nutricionistas que lhe deixam manter algumas das suas extravagâncias. Mas a Ni é uma 'game changer'. O essencial? Comer seis vezes por dia porções adequadas ao seu peso e não aos seus olhos. Come-se o que se gosta e esqueça o limite de calorias. Mais: eu nunca fui para a cama com fome. Nunca! O bónus para pacientes mais regrados: manter dois pecados calóricos por semana. Tudo com medida. Mas também não vou mentir: durante o período de transição, o meu corpo manifestou-se. Pudera! Nunca mais pude tomar pequeno-almoço com seis colheres de açúcar. Mas ainda agora escrevi a palavra-chave da dieta da Ni: tudo mas... com medida. 

Então, ensinei o meu o corpo a aceitar as alterações na dieta. Não é muito diferente de correr pela primeira vez 30 quilómetros. Sim, é possível. Sim, nós estávamos no caminho certo. Sim, eu tinha os ingredientes que precisava. Sim, há persistência. Sim, menos cinco quilos, massa gorda reduzida até 14%, massa muscular elevada para 45%. Eu hoje posso não ter o peso que tinha aos 27 anos, mas estou na melhor forma de sempre. A foto de perfil não deixa mentir.

Eu vou poupar-vos os detalhes da minha dieta, o que comi e não comi, e vou contar este episódio: no meio do meu treino surgiu me uma dor aguda na minha perna direita. Parte da receita de curar esta lesão estava também na cozinha. Na altura suspeitava-se que eu poderia ter uma fratura e o Dr Levin, antigo médico da seleção Olímpica Americana, começa a dar-me o ABC do que comer durante o treino. Coisa e tal incluiu la pelo menos um iogurte por dia dizia-me ele. (Acreditem ou não muitos corredores não prestam a atenção à dieta que fazem, ou consomem quantidades limitadas de cálcio.)

 

Levantei-me da maca e comecei a ler a dieta da Ni, incluindo os três iogurtes que já comia diariamente. “A comer tão bem não vais precisar de muito para terminar a maratona”, responde o Dr. Levin. E eu pensei que essa é uma frase típica que se dá a corredores que seguem uma alimentação regrada. Durante o meu treino + dieta da Ni, eu sentia que tinha mais energia para correr. Eu corria 33k e não sabia o que era ficar dorida pós-corrida. Eu tinha a certeza que era a dieta da Ni que estava por detrás dos resultados e não só as horas que eu corria por semana. Mas a verdadeira lição veio mesmo quando atravessei a linha final.

 

Terminei a maratona de NYC em 05h09. O fascínio de correr uma maratona é duplo. Primeiro o construir a quilometragem até conseguir correr 42km sem parar. Segundo o corpo humano ao final de duas horas fica sem energias e a mente faz o resto. No meu caso não foi bem assim a última parte. No dia da corrida consumi gel ate às 3h de corrida, depois comi uma banana. E na última hora de corrida, a mais difícil, corri com as minhas reservas de energia, portanto, a dieta da Ni, até atravessar a meta. E, digo mais, corri 42.2km, mas podia ter corrido 50km.

 

Quando digo isto a outros corredores Americanos eles ficam espantados, como se eu fosse um ser sobrenatural, e perguntam me se segui alguma dieta de um atleta da Eritreia. Nada disso. Só a dieta da Ni: nada de açúcar, café qb, aveia, nozes, manteiga de amendoim, muitos legumes, carnes vermelhas ao almoço apenas e brancas a noite, cavala, iogurte, abacate e até a um pedacinho de chocolate eu tinha direito.

 

Afinal, quem tinha razão era o Dr. Levin, com a certeza que eu não precisaria de muito mais do que a dieta da Ni para chegar ao final. A única ironia do destino foi esta: portista a correr a maratona de Nova Iorque com uma águia ao peito (símbolo da minha equipa de corrida nos EUA).

actual.jpg

Estás linda, Joana!

bracinhos.jpg

Braços de corrida Izoneusa, da qual a Joana é embaixadora nos EUA 

IMG_1917.JPG

Mensagem da Joana: Ni, comprei as calças em Junho. Cheguei a finais de Julho e já não serviam!

 

 

05
Mai16

Um ano de "A Minha Dieta"

Ana Ni Ribeiro
O lançamento do meu livro foi há um ano. 

IMG_4648.JPG

 

IMG_8584.JPG

 

Com A Minha Dieta quis e continuo a querer que as pessoas percebam que é possível seguir um plano alimentar simples, prático e saudável sem passar fome.
Muitas pessoas acreditam que para se comer correctamente é necessário seguir um plano alimentar muito restritivo, e por esse motivo desistem antes de começar. Mas dos primeiros passos para conseguir manter uma dieta saudável é perceber que ela não é e nem deve ser difícil de cumprir e punitiva.
 
 
- Uma nutricionista que revela que teve problemas com o próprio peso não é muito comum. Espera que a sua história inspire outros a levar uma vida mais saudável?

Ao contar a minha histórita espero conseguir inspirar outras pessoas à mudança. Eu não sou uma "super mulher". Eu tive problemas de peso como outras milhares, milhões de pessoas. Se eu consegui reaprender a comer e ter peso normal as outras pessoas também conseguirão. 


- O facto de ter tido grandes oscilações de peso e passado do excesso de peso para a anorexia foi o que a levou a interessar-se pela área da nutrição?

A nutrição sempre foi uma área que me fascinava, e a minha luta constante com o peso teve obviamente influência na decisão. Ser nutricionista ajudou-me a chegar ao ponto de equilíbrio na minha relação com a comida. Finalmente!


- Revela que criou um plano alimentar para a vida, em que não se passa fome e não se abdica de alguns alimentos menos recomendados. Em que consiste essa dieta?

 A minha dieta passa por não fazer dieta. O meu segredo é que, na verdade, não criei uma dieta, mas sim um plano alimentar para a vida! E isso faz toda a diferença.

Permite comer de tudo, sem passar fome, levando a que emagreça, e se aprenda a manter o peso. E vai de encontro ao que mais me pedem nas consultas: emagrecer e não voltar a engordar.

É a nossa dieta mediterrânea adaptada, revista e melhorada. É um plano em que se come várias vezes ao dia, onde os hidratos de carbono complexos não são abolidos. Este meu plano passa por comer bem, não sentir fome e perder peso. Impossível? Olhe que não. 

- O lançamento do livro “A Minha Dieta” é o culminar de um processo? Pretende divulgar ao mundo a sua receita de sucesso?

 Através do blog A Nitricionista e das consultas, coloco nas mãos dos meus seguidores as ferramentas de que precisam para reaprender a comer. Mas sinto que não é suficiente, pelo que decidi escrever este livro. Com o livro é possível reunir num só “local” as informações mais valiosas e que devem ser lembradas diariamente. 

 
- O que podemos encontrar exatamente neste livro?

 No livro vão encontrar a minah história, dicas e truques para ser mais fácil cumprir a "dieta" e receitas deliciosas e simples. 


- É possível fazer-se uma alimentação saudável sem prescindir de algumas perdições diariamente?

Eu, certamente vítima de deformação profissional, e por experiência própria, continuo a acreditar que só se engorda se se comer mais do que aquilo que se gasta e que para emagrecer teremos que comer menos do que o que precisamos. Comendo bem. Sendo que comer bem não é sinónimo de comer muito, como muitos pensam. 

O que são perdições? Se forem bolos ou fritos isso não são opções saudáveis.

 

- Porque é tão difícil fazer dieta? É um processo físico ou mais mental?

Tudo o que implica mudança é percebido como algo difícil. Sempre que necessitamos fazer algumas alterações a hábitos ficamos assustados. A neofobia é muito comum, mas depois de darmos o primeiro passo verificamos que afinal era bem mais simples do que pensamos. 

É também um processo mental, daí a necessidade de aprendermos a pensar magro.

 

- Na área da nutrição, há correntes opostas sobre vários temas. Por exemplo, a gordura antes fazia mal e agora indicam que não será assim tão prejudicial. O azeite e as sardinhas também já conheceram os dois lados da barricada. O que diz dos estudos opostos que vão surgindo?

 Há várias correntes mas algumas não têm nenhuma base científica. Outras têm e vão sendo usadas conforme a moda. Eu sou contra modas, sou a favor da ciência e do que nos pode ajudar a sermos mais saudáveis.


- Estamos em plena época das dietas. Quem conselhos daria a quem quer emagrecer para o conseguir de forma eficaz e sem peso na consciência?

O primeiro conselho: que leiam o meu livro.

Emagrecer é perder gordura, e não apenas peso. É fundamental saber comer para emagrecer. Seja equilibrado, não só no corpo como na alma. Com calma, sem estar o dia inteiro a pensar em comida, sem ansiedade - que muitas vezes desencadeia compulsão alimentar - é necessário descobrir outros prazeres na sua vida. Que uma vida sem prazeres é meio caminho andado para uma depressão. 


- Promove algo muito curioso que é as refeições em frasco. São ideias para quem leva comida para o trabalho?

 Os receitas em frasco são uma óptima forma de levar o almoço para o trabalho. Permitem manter as qualidades e a frescura dos alimentos, sendo uma forma simples e visualmente atrativa- porque os olhos também comem, de preparar refeições.
Também uso os enfrascados ao pequeno almoço.


- Como é uma refeição ideal para si?

A minha refeição ideal não passa apenas pela comida que tenho no prato, mas pela companhia que tenho à mesa.

É preciso haver um equilibrio, um balanço na refeição. E que seja saboroso e simples de fazer
Sopa de legumes, uma salada colorida, e um wrap de salmão! 
 

IMG_4635.JPG

 

IMG_4637.JPG

 

 

 

03
Mai16

Missão Verão 2016

Ana Ni Ribeiro

12592480_1027166040678433_6589613832376132364_n.jp

 Com a chegada dos dias quentes, os pensamentos voam facilmente para a praia, mas é aqui que começam os “dramas” mais comuns à maioria das mulheres… e dos homens! É nesta altura do ano que as atenções se viram novamente para o corpo. E o biquíni ou os calções de banho deixam ver facilmente os quilos em excesso. Com o calor também somos inundados com dietas rápidas que prometem resultados relâmpago e fáceis de alcançar. São prometidos verdadeiros milagres! Dietas loucas, chás, cremes, produtos naturais... Atenção: constituem vários perigos.

Temos que ter consciência que não existem milagres, e que não se pode desejar emagrecer a qualquer preço. O preço não pode ser a nossa saúde. Mentalize-se que aumenta de peso quando a energia que consome é superior à energia gasta. É preciso aprender a comer e a aumentar a actividade física. Alterar hábitos nem sempre é fácil, e por vezes demora um bocadinho... mas depois os resultados são duradoiros.

A pensar em todos os que precisam de aconselhamento especializado na área da Nutrição, criei a consulta online.
Para poder ter um plano individualizado e tirar todas as dúvidas, só precisa de ter um computador com ligação à Internet. O resto funciona exactamente como uma consulta presencial: há uma marcação prévia e, no dia da consulta online, por chat, tem a nutricionista à sua disposição para a sua consulta.
Se estiver a quilómetros de distância, não precisa de se deslocar ao consultório, perder tempo e gastar combustível. Todo o processo é confidencial e as informações são fidedignas. Antes da marcação da primeira consulta,envio, por e-mail, uma ficha que deverá ser preenchida e devolvida, para uma avaliação preliminar. Até isto contribui para o ambiente porque poupa papel: tudo é feito electronicamente.

Juntos preparamos o verão 2016 e o resto do ano.

11082517_10203987430354731_1386272586961258375_n.j

 

 

31
Mar16

Antes e depois

Ana Ni Ribeiro

FullSizeRender (5).jpg

Cheguei de férias e tinha imensos mails para ler e responder, mas há um que tenho que partilhar convosco. 

A E. tínha-me dito que na próxima consulta me ia enviar uma um "Antes e Depois" com uma foto da Páscoa, mas felizmente não resistiu e recebi antes:
 
"...
Não resisto a enviar-lhe já o resultado, pois também foi graças ao si e a tê-la encontrado, que fez com que eu hoje pudesse olhar estas fotos e sentir-me tão feliz.
...
P.S. a diferença engraçada: na de 2015 um saco de chocolates na mão, na de 2016, o livro da Ni. Foi a troca perfeita."
 
É com muito orgulho que a E. permite que partilhe convosco as suas alterações, e é com mais orgulho ainda que a sinto diferente por fora e por dentro: mais feliz, confiante e motivada. 
Vamos equipa!
31
Jul15

Vamos enfrascar estas receitas

Ana Ni Ribeiro

fotografia (16).JPG

 Ontem fui ao Você na TV falar de enfrascado. Os frascos de vidro são a forma ideal de transportar e preservar os alimentos.

Vamos enfrascar estas receitas?

 

fotografia 1 (22).JPG

 

Pudim de chia e mirtilos

Num frasco pequeno colocar: um iogurte magro 0%, uma colher de sopa de sementes de chia, uma colher de coco e uma colher de mirtilos. Misturar com cuidado. Preencher o frasco com mais uma colher de mirtilos e fechar bem. Deixar durante a noite no frigorífico.

 

fotografia 2 (24).JPG

Salada de atum e espinafres

Num frasco médio colocar as seguintes camadas:

1. Molho: um fio de azeite, vinagre balsámico, pimenta e sal

2. Tomates cherry

3. 3 colheres de sopa de feijão frade cozido

4. Filetes de atum La Gondola

5. Espinafres (encher bem o frasco)

Fechar bem!

 

fotografia 3 (16).JPG

 

Salada de camarão e manga com molho de iogurte e abacate

Num frasco médio, colocar as seguintes camadas:

1. Molho: misturar previamente, meio iogurte grego magro não açúcarado com meio abacate pequeno, sumo de limão e pimenta caiena.

2. Tomates cherry

3. Fatias de manga

4. 1 chávena de camarão cozido e descascado

5. Mistura de folhas verdes, a quantidade necessária para encher bem o frasco.

 

fotografia 4 (4).JPG

 

Salada de quinoa e legumes grelhados

Num frasco médio, colocar as seguintes camadas:

1. Legumes grelhados (grelhar: beterraba, cogumelos, espargos, cenoura, beringela. Temperar com um fio de azeite, molho de soja light e pimenta)

2. 3 colheres de sopa de quinoa cozida

3. uma colher de sopa de nozes

4. uma colher de sopa de sementes variadas

5. Mistura de alfaces para encher bem o frasco 

04
Jun15

A Minha Dieta na feira do livro de Lisboa

Ana Ni Ribeiro

Tenho o prazer de vos convidar para a apresentação do meu primeiro livro, A Minha Dieta, no próximo sábado na feira do livro de Lisboa pelas 18h no espaço Leya.

Vou mostra-vos algumas receitas de enfrascados saudáveis, simples e muito saborosos. A Helena Coelho estará comigo à vossa espera.

Conv_Dieta_Ana_Ni_FLLx2015 (1).jpg

 

02
Jun15

Salada oriental

Ana Ni Ribeiro

fotografia 1 (10).JPG

Hoje ao almoço apetecia-me sushi mas também queria uma salada. Fiz uma salada oriental e resolvi o problema.

Querem a minha receita? É só juntar os ingredientes e já está. Também podem fazer em versão enfrascada.

 

Salada Oriental 

1/2 chávena de arroz de sushi pronto (para preparar: cozi 1 chávena de arroz em 2 1/2 de água. Depois de pronto, juntei 3 colheres de vinagre de arroz e umas pitadas de sal. Depois guardo no frigorífico num frasco bem fechado para estas eventualidades)

3 chávenas de folhas verdes

2 tomates cherry

1/4 abacate

1/3 lata de atum La Gondola

1/4 folha de alga nori

Gengibre em conserva

Sementes de sésamo

Molho de soja light

fotografia 2 (11).JPG

 

Sobre mim


Sou a Ni, sou nutricionista e este é o meu blog. Aqui partilho a minha paixão pelo fabuloso mundo da nutrição. Dizem que este é o melhor blog sobre nutrição do mundo e arredores!

Ver perfil
Seguir perfil

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu livro

Links

Consultas online

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Parceiros