Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Nitricionista

10
Mai13

Alimentação saudável não precisa estar em crise

Ana Ni Ribeiro

Actualmente, muito se fala de crise ou só se fala da crise. Apesar dos cortes é possível fazer uma alimentação equilibrada e saudável gastando pouco. Conseguimos fazer um dia inteiro de refeições saudáveis, gastando entre três e quatro euros, e respeitando duas regras básicas: fazer cinco refeições diárias e acompanhar o almoço e o jantar com uma sopa de legumes.
Desta forma, não só se garante a recomendada absorção diária de vegetais, como se ‘forra’ o estômago, ajudando a combater a sensação de fome.

Comecemos por analisar alguns hábitos alimentares;

Pequeno-almoço:
Actualmente, poucas são as pessoas que tomam o pequeno-almoço em casa preferindo o café ou a pastelaria. O pão, é muitas vezes substituído por um bolo que em termos de calorias equivale a 3-4 pães e que custa tanto como 7-8 pães comidos em casa. Ou seja, o que se paga por esse bolo daria para 7 pequenos-almoços. Um litro de leite que em casa dará para 4 copos, em termos de preço não chega para pagar uma meia-de-leite no café. Ou seja, o que se gasta num mês para tomar o pequeno-almoço constituído por um pão com manteiga e uma meia de leite em casa só dá para pagar cinco dias no café.

Merenda da manhã e lanche:
Sempre que o intervalo entre refeições é superior a três horas, estas refeições são obrigatórias. Mas o que se verifica é que muitos adultos não as fazem ou então escolhem o café com o bolinho, embora o pão seja mais barato e muito mais saudável. As crianças por norma comem snacks cheios de açúcar e gordura que acompanham com refrigerantes a que os pais chamam ‘sumo’.
Faça a conta ao dinheiro que gasta nestas bebidas diariamente. Um pacote de 1l dá para 4 copos. Se tiver 2 filhos e cada um beber 2 copos por dia gastará mais de 20 euros por mês e fará com que os seus filhos possam ter 6-7 quilos a mais ao fim de um ano. Normalmente bebem-nas em vez de água e os pais também, o que aumenta o gasto ainda mais... Opções caras e pouco saudáveis.

Almoço e jantar:
Um dos grandes erros na alimentação dos portugueses é o elevado consumo de produtos ricos em proteínas. Um adulto deverá consumir a cada refeição não mais do que 100-120 g de carne ou peixe e muitas pessoas comem o dobro. Mais uma vez, reduzir para a quantidade adequada permite ganhar saúde e reduzir o custo das refeições quase para metade.
O consumo de ovos pelo me-nos uma vez por semana, ou levar para o almoço uma sanduíche de carne, atum ou ovos com vegetais, são soluções que permitem fazer refeições muito mais baratas e saudáveis. Ocasionalmente, substitua a carne por fontes de proteínas alternativas, como feijão, soja ou grão.

6 comentários

Comentar post

Sobre mim


Sou a Ni, sou nutricionista e este é o meu blog. Aqui partilho a minha paixão pelo fabuloso mundo da nutrição. Dizem que este é o melhor blog sobre nutrição do mundo e arredores!

Ver perfil
Seguir perfil

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu livro

Links

Consultas online

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Parceiros